A Alma

Se existisse uma forma de isolar a alma de uma marca, teríamos que pensar na possibilidade de anular esse potencial descobridor. Nada é mais legítimo do que o sussurrar de uma criação.

Como numa esfera perfeita,  a R O X E TT E é a curva indefinida entre os limites de cada alma feminina. 

A beleza da década de 90  é aquela dose real da mulher. O eixo sem padrão, sem foco...  um click preto e branco de Peter Linderberg. 

É impossível olhar pra Roxette e deixar de sentir cada ranhura, pesponto ou vira.... é uma poesia, um sonho, um produto, uma história, uma fuga e toda uma vida. 

A    A L M A 

Foi sendo escrita durante um caminho e alguns encontros.

A Roxette foi construída pela paixão e visão extrema de que o produto tem que existir além do seu tempo. 

Essa alma nada mais é do que a soma entre todas as influências e certezas de que a moda e o produto devem ter uma força extrema que faça gritar mesmo em hiatos de silêncio profundo. 

E justamente no hiato, a combinação de personalidades solidificou o elo fundamental da base dessa pirâmide que é a Roxette!

Ingrid Rambo, modelo gaúcha dos anos 90, transitou muito bem dos editoriais de moda, para o estudo de mercado e consumo e  Ernani Scopel,  com uma trajetória e expertise bem ancorada no meio do calçado entendem que o belo é simples, mas com uma dose violenta de personalidade.

Bem vindos à  R O X E TT E!